Memorial ALRS

Bem-vindo ao acervo do Memorial do Legislativo

O Memorial do Legislativo foi inaugurado em 2010, após a retomada do antigo casarão rosado (sede da Assembleia Legislativa desde 1835). Foi reformado e adequado para abrigar os acervos permanentes históricos do Poder Legislativo.

Fisicamente os arquivos estão divididos em três sistemas: Multimeios, Administrativo e Legislativo.

Arquivo Multimeios
São documentos iconográficos, audiovisuais, micrográficos e digitais, com destaque para o arquivo de mídias, com aproximadamente: 600 CDs e DVDs, 16 discos de
vinil, 324 filmes 16mm, 114 microfilmes, 1.600 slides, 1.300.000 negativos em 35mm, 120 negativos em vidro, 4.200 negativos tamanhos diferenciados, 30.000 imagens impressas,
800 Fitas BetaCam, 1.650 Fitas DVCam, 520 Fitas Rolo áudio e 10.000 Fitas K-7.

Arquivo Administrativo
Processos Administrativos de caráter permanente (1995-2005); Falas e Mensagens do Governo do Estado (1829-2009); Relatórios das Secretarias de Estado: Fazenda (1881-1928); Negócios do Interior e Exterior (1891-1929); Obras Públicas (1891-1886); Relatórios da VFERGS (1869-1991). Correspondência Expedida e Recebida (1891-1937). Ofícios e Telegramas (1831-1994). Coleção Palácio Farroupilha-construção.

Arquivo Legislativo
Livros de Atas do Conselho Geral da Província de São Pedro do Rio Grande do Sul (1828-1834), os Livros de Atas da Assembleia Legislativa Provincial (1835-1872), Protocolos e Pareceres de Comissões (1835-1964), Projetos e Resoluções (1837-1881), Atas da Mesa, a coleção de Anais da Assembleia Legislativa (1862-1998). Projetos de Lei (1947-1970). Constituinte Estadual 1989.

Arquivo Periódicos
Coleções de alguns periódicos raros, como o Jornal A Federação, Jornal do Estado, O Mercantil, O Correio de Porto Alegre, O Comércio e a A Tribuna Rio-Grandense, que publicavam os atos do Poder Legislativo, anteriores aos Anais. São coleções incompletas, compreendendo fascículos de importância ao parlamento.

Solar dos Câmara
Composto de fundos pessoais relativos à documentação deixada pela família Câmara, após a desapropriação do prédio pela Assembleia Legislativa. É constituído de fotos, manuscritos e alguns objetos em fase de reorganização.